Um Blog de poesia, imagens estudos das Escrituras, mensagens e textos engraçados
Eu e uma de minhas filhas tocando teclado.
publicado por wellcorp às 16:23 | link do post
Eu e uma de minhas filhas tocando teclado.
publicado por wellcorp às 16:23 | link do post
publicado por wellcorp às 17:34 | link do post
publicado por wellcorp às 17:34 | link do post
publicado por wellcorp às 17:26 | link do post
publicado por wellcorp às 17:26 | link do post
Os 4 elementos do ATENDIMENTO ...
Um fósforo, uma bala de menta, uma xícara de café e um jornal ...
Estes quatro elementos fazem parte de uma das melhores histórias sobre atendimento que conhecemos.
Um homem estava dirigindo há horas e, cansado da estrada, resolveu procurar um hotel ou uma pousada para descansar. Em poucos minutos, avistou um letreiro luminoso com o nome: Hotel Venetia. Quando chegou à recepção, o hall do hotel estava iluminado com luz suave. Atrás do balcão, uma moça de rosto alegre o saudou amavelmente: '- Bem-vindo ao Venetia!' Três minutos após essa saudação, o hóspede já se encontrava confortavelmente instalado no seu quarto e impressionado com os procedimentos: tudo muito rápido e prático. No quarto, uma discreta opulência; uma cama, impecavelmente limpa, uma lareira, um fósforo apropriado em posição perfeitamente alinhada sobre a lareira, para ser riscado. Era demais! Aquele homem que queria um quarto apenas para passar a noite começou a pensar que estava com sorte. Mudou de roupa para o jantar (a moça da recepção fizera o pedido no momento do registro). A refeição foi tão deliciosa, como tudo o que tinha experimentado, naquele local, até então. Assinou a conta e retornou para o quarto. Fazia frio e ele estava ansioso pelo fogo da lareira. Qual não foi a sua surpresa! Alguém havia se antecipado a ele, pois havia um lindo fogo crepitante na lareira.
A cama estava preparada, os travesseiros arrumados e uma bala de menta sobre cada um. Que noite agradável aquela! Na manhã seguinte, o hóspede acordou com um estranho borbulhar, vindo do banheiro. Saiu da cama para investigar. Simplesmente uma cafeteira ligada por um timer automático, estava preparando o seu café e, junto um cartão que dizia: 'Sua marca predileta de café. Bom apetite!' Era mesmo!
Como eles podiam saber desse detalhe? De repente, lembrou-se: no jantar perguntaram qual a sua marca preferida de café. Em seguida, ele ouve um leve toque na porta. Ao abrir, havia um jornal. 'Mas, como pode?! É o meu jornal! Como eles adivinharam?' Mais uma vez, lembrou-se de quando se registrou: a recepcionista havia perguntado qual jornal ele preferia. O cliente deixou o hotel encantando. Feliz pela sorte de ter ficado num lugar tão acolhedor. Mas, o que esse hotel fizera mesmo de especial? Apenas ofereceram um fósforo, uma bala de menta, uma xícara de café e um jornal.
Nunca se falou tanto na relação empresa-cliente como nos dias de hoje. Milhões são gastos em planos mirabolantes de marketing e, no entanto, o cliente está cada vez mais insatisfeito, mais desconfiado. Mudamos o layout das lojas, pintamos as prateleiras, trocamos as embalagens, mas
esquecemos-nos das pessoas.
O valor das pequenas coisas conta, e muito. A valorização do relacionamento com o cliente.
Fazer com que ele perceba que é um parceiro importante! Isto vale também para nossas relações pessoais (namoro, amizade, família, casamento) enfim pensar no outro como ser humano é sempre uma satisfação para quem doa e para quem recebe.
publicado por wellcorp às 08:16 | link do post
tags:
Os 4 elementos do ATENDIMENTO ...
Um fósforo, uma bala de menta, uma xícara de café e um jornal ...
Estes quatro elementos fazem parte de uma das melhores histórias sobre atendimento que conhecemos.
Um homem estava dirigindo há horas e, cansado da estrada, resolveu procurar um hotel ou uma pousada para descansar. Em poucos minutos, avistou um letreiro luminoso com o nome: Hotel Venetia. Quando chegou à recepção, o hall do hotel estava iluminado com luz suave. Atrás do balcão, uma moça de rosto alegre o saudou amavelmente: '- Bem-vindo ao Venetia!' Três minutos após essa saudação, o hóspede já se encontrava confortavelmente instalado no seu quarto e impressionado com os procedimentos: tudo muito rápido e prático. No quarto, uma discreta opulência; uma cama, impecavelmente limpa, uma lareira, um fósforo apropriado em posição perfeitamente alinhada sobre a lareira, para ser riscado. Era demais! Aquele homem que queria um quarto apenas para passar a noite começou a pensar que estava com sorte. Mudou de roupa para o jantar (a moça da recepção fizera o pedido no momento do registro). A refeição foi tão deliciosa, como tudo o que tinha experimentado, naquele local, até então. Assinou a conta e retornou para o quarto. Fazia frio e ele estava ansioso pelo fogo da lareira. Qual não foi a sua surpresa! Alguém havia se antecipado a ele, pois havia um lindo fogo crepitante na lareira.
A cama estava preparada, os travesseiros arrumados e uma bala de menta sobre cada um. Que noite agradável aquela! Na manhã seguinte, o hóspede acordou com um estranho borbulhar, vindo do banheiro. Saiu da cama para investigar. Simplesmente uma cafeteira ligada por um timer automático, estava preparando o seu café e, junto um cartão que dizia: 'Sua marca predileta de café. Bom apetite!' Era mesmo!
Como eles podiam saber desse detalhe? De repente, lembrou-se: no jantar perguntaram qual a sua marca preferida de café. Em seguida, ele ouve um leve toque na porta. Ao abrir, havia um jornal. 'Mas, como pode?! É o meu jornal! Como eles adivinharam?' Mais uma vez, lembrou-se de quando se registrou: a recepcionista havia perguntado qual jornal ele preferia. O cliente deixou o hotel encantando. Feliz pela sorte de ter ficado num lugar tão acolhedor. Mas, o que esse hotel fizera mesmo de especial? Apenas ofereceram um fósforo, uma bala de menta, uma xícara de café e um jornal.
Nunca se falou tanto na relação empresa-cliente como nos dias de hoje. Milhões são gastos em planos mirabolantes de marketing e, no entanto, o cliente está cada vez mais insatisfeito, mais desconfiado. Mudamos o layout das lojas, pintamos as prateleiras, trocamos as embalagens, mas
esquecemos-nos das pessoas.
O valor das pequenas coisas conta, e muito. A valorização do relacionamento com o cliente.
Fazer com que ele perceba que é um parceiro importante! Isto vale também para nossas relações pessoais (namoro, amizade, família, casamento) enfim pensar no outro como ser humano é sempre uma satisfação para quem doa e para quem recebe.
publicado por wellcorp às 08:16 | link do post
tags:




Welington Corporation

orguhosamente apresenta

Com o apoio da Arilton Lixa Videos

Enviados (ALVE),



coca










Comentário sobre

"livramento"


Apoio da By Welington


Agradecimentos ao Welington

Language Institute


Patrocínio de








http://www.djangoypablo.hpg.ig.com.br/

e

http://paginas.terra.com.br/lazer/girlcanrock/




É com grande pesar que anunciamos

que estamos

desvinculando

a Ana Paula Arósio das produções da

Welington Corp.










a partir desta data estará sendo

substituída pela Emma

Roberts














Nota do Editor chefe da Welington Corp:



- Lamentamos o fato, mas a Diretoria da

Welington Corp não estava de acordo

com os atuais

papéis telvisivos na qual a atriz tem

atuado nos

últimos anos. O rompimento era

inevitável, era só

uma questão de tempo.

Esta Exegese tem o apoio do FTCA

(Filosofia, Teologia e Coisas Afins)

do Welington Language Institute









Traduzido nos escritórios da Holding S.I.

Exegese

sobre "livramento"







Nas Escrituras tem um

termo conhecido como 'livramento'


Salm 32:7 Tu és o meu esconderijo; preservas-me da angústia; de alegres cânticos de livramento me cerca


Ele é dito quando tinha tudo pra dar

errado,

A hecatombe tava prevista,

A desgraça pouca era besteira

A catástrofe era inevitável,

E o desatre era mais que um mera

opção.

Sintetizando numa frase carioca: -

Mermão, foge que se

a gente tiver com sorte, a gente só

morre...

Quando a horda dos desesperançados

desafinava:


Devia ter amado mais

Ter chorado mais

Ter visto o sol nascer

Devia ter arriscado mais

E até errado mais

Ter feito o que eu queria fazer

Queria ter aceitado as pessoas como elas são

Cada um sabe a alegria e a dor que traz no coração

O acaso vai me proteger

Enquanto eu andar distraído

O acaso vai me proteger

Enquanto eu andar...

Devia ter complicado menos

Trabalhado menos

Devia ter visto o sol se pôr

Devia ter me importado menos

Com problemas pequenos

Ter morrido de amor

Queria ter aceitado a vida como ela é

A cada um cabe alegrias e a tristeza que vier

O acaso vai me proteger

Enquanto eu andar distraído

O acaso vai me proteger

Enquanto eu andar...

Devia ter complicado menos

Trabalhado menos





Mas aí, gente fina, Contradizendo o

universo,

De modo cabal e sem consideração,

Algo estranho acontece.

Quando a ordem pra desmoronar

é banida.

E a tal da hecatombe não se concretiza,

A doce desgraça...

...morre na praia...

A inevitável catástrofe...

...tomba ferida...

E o desastre se transforma...

Numa mera opção.

E Deus tem algo a ver com isso.

E anjos estão envolvidos com a situação

Pois gente tava orando e conspirando

Pra sorte não os transformar em

Epitáfios

Destes abandonados em alguma

cemitério escondido

numa dessas cidades fantasmas







Isso se chama "livramento".

E o resultado dessa conspiração contra o

inevitável

Num exemplo muito mal delineado

Pode ser avaliado

Neste video anexado

Neste video anexado

Video anexado








Welington Corporation

orguhosamente apresentou

Com apoio da Arilton Lixa Videos

Enviados (ALVE)


Comentário sobre "livramento"


Agradecimentos a iniciativa da

By Welington


Referendamos o apoio do

Welington Language Institute


Patrocínio de




http://paginas.terra.com.br/lazer/girlcanrock/


Welington Corp

publicado por wellcorp às 17:02 | link do post




Welington Corporation

orguhosamente apresenta

Com o apoio da Arilton Lixa Videos

Enviados (ALVE),



coca










Comentário sobre

"livramento"


Apoio da By Welington


Agradecimentos ao Welington

Language Institute


Patrocínio de








http://www.djangoypablo.hpg.ig.com.br/

e

http://paginas.terra.com.br/lazer/girlcanrock/




É com grande pesar que anunciamos

que estamos

desvinculando

a Ana Paula Arósio das produções da

Welington Corp.










a partir desta data estará sendo

substituída pela Emma

Roberts














Nota do Editor chefe da Welington Corp:



- Lamentamos o fato, mas a Diretoria da

Welington Corp não estava de acordo

com os atuais

papéis telvisivos na qual a atriz tem

atuado nos

últimos anos. O rompimento era

inevitável, era só

uma questão de tempo.

Esta Exegese tem o apoio do FTCA

(Filosofia, Teologia e Coisas Afins)

do Welington Language Institute









Traduzido nos escritórios da Holding S.I.

Exegese

sobre "livramento"







Nas Escrituras tem um

termo conhecido como 'livramento'


Salm 32:7 Tu és o meu esconderijo; preservas-me da angústia; de alegres cânticos de livramento me cerca


Ele é dito quando tinha tudo pra dar

errado,

A hecatombe tava prevista,

A desgraça pouca era besteira

A catástrofe era inevitável,

E o desatre era mais que um mera

opção.

Sintetizando numa frase carioca: -

Mermão, foge que se

a gente tiver com sorte, a gente só

morre...

Quando a horda dos desesperançados

desafinava:


Devia ter amado mais

Ter chorado mais

Ter visto o sol nascer

Devia ter arriscado mais

E até errado mais

Ter feito o que eu queria fazer

Queria ter aceitado as pessoas como elas são

Cada um sabe a alegria e a dor que traz no coração

O acaso vai me proteger

Enquanto eu andar distraído

O acaso vai me proteger

Enquanto eu andar...

Devia ter complicado menos

Trabalhado menos

Devia ter visto o sol se pôr

Devia ter me importado menos

Com problemas pequenos

Ter morrido de amor

Queria ter aceitado a vida como ela é

A cada um cabe alegrias e a tristeza que vier

O acaso vai me proteger

Enquanto eu andar distraído

O acaso vai me proteger

Enquanto eu andar...

Devia ter complicado menos

Trabalhado menos





Mas aí, gente fina, Contradizendo o

universo,

De modo cabal e sem consideração,

Algo estranho acontece.

Quando a ordem pra desmoronar

é banida.

E a tal da hecatombe não se concretiza,

A doce desgraça...

...morre na praia...

A inevitável catástrofe...

...tomba ferida...

E o desastre se transforma...

Numa mera opção.

E Deus tem algo a ver com isso.

E anjos estão envolvidos com a situação

Pois gente tava orando e conspirando

Pra sorte não os transformar em

Epitáfios

Destes abandonados em alguma

cemitério escondido

numa dessas cidades fantasmas







Isso se chama "livramento".

E o resultado dessa conspiração contra o

inevitável

Num exemplo muito mal delineado

Pode ser avaliado

Neste video anexado

Neste video anexado

Video anexado








Welington Corporation

orguhosamente apresentou

Com apoio da Arilton Lixa Videos

Enviados (ALVE)


Comentário sobre "livramento"


Agradecimentos a iniciativa da

By Welington


Referendamos o apoio do

Welington Language Institute


Patrocínio de




http://paginas.terra.com.br/lazer/girlcanrock/


Welington Corp

publicado por wellcorp às 17:02 | link do post
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
28
29
30
31
comentários recentes
Eu já disse que você é demais, mas, não custa nadi...
Você é um ser lindo!
tudo precisa de fundamento:oque significa raiz ori...
tudo precisa de fundamento:oque significa raiz ori...
You pretty much said what i could not effectively ...
You pretty much said what i could not effectively ...
Maneiro!
Maneiro!
tags

todas as tags

Posts mais comentados
29 comentários
29 comentários
6 comentários
6 comentários
5 comentários
5 comentários
3 comentários
3 comentários
subscrever feeds
SAPO Blogs