Um Blog de poesia, imagens estudos das Escrituras, mensagens e textos engraçados
O arqueólogo Walter Kaiser enumera as seguintes descobertas como sendo as dez mais importantes da arqueologia bíblica:
(1) os amuletos de Ketef Hinnon, contendo o mais antigo texto do Antigo Testamento (séc. VII a.C.);
(2) o Papiro John Rylands, contendo o mais antigo texto do Novo Testamento (125 A.D.);
(3) os manuscritos do Mar Morto;
(4) a pintura de Beni Hasan, revelando como era a cultura patriarcal 19 séculos antes de Cristo;
(5) a estela de basalto de Dã, descoberta em 1993, que provou, sem sombra de dúvidas, a existência do rei Davi;
(6) o tablete 11 do épico de Gilgamés, descoberto, em 1872, por George Smith, que provou a antigüidade do relato do dilúvio;
(7) o tanque de Gibeão (mencionado em 2 Samuel 2:13 e Jeremias 41:12), descoberto em 1833, por Edward Robinson;
(8) o selo de Baruque, descoberto em 1975, provando a existência do secretário e confidente do profeta Jeremias;
(9) o palácio de Sargão II, rei da Assíria mencionado em Isaías 20:1, descoberto em 1843, por Paul Emile Botta, de cuja existência os historiadores seculares duvidavam até essa descoberta;
(10) o obelisco negro de Salmaneser.
publicado por wellcorp às 08:32 | link do post
O arqueólogo Walter Kaiser enumera as seguintes descobertas como sendo as dez mais importantes da arqueologia bíblica:
(1) os amuletos de Ketef Hinnon, contendo o mais antigo texto do Antigo Testamento (séc. VII a.C.);
(2) o Papiro John Rylands, contendo o mais antigo texto do Novo Testamento (125 A.D.);
(3) os manuscritos do Mar Morto;
(4) a pintura de Beni Hasan, revelando como era a cultura patriarcal 19 séculos antes de Cristo;
(5) a estela de basalto de Dã, descoberta em 1993, que provou, sem sombra de dúvidas, a existência do rei Davi;
(6) o tablete 11 do épico de Gilgamés, descoberto, em 1872, por George Smith, que provou a antigüidade do relato do dilúvio;
(7) o tanque de Gibeão (mencionado em 2 Samuel 2:13 e Jeremias 41:12), descoberto em 1833, por Edward Robinson;
(8) o selo de Baruque, descoberto em 1975, provando a existência do secretário e confidente do profeta Jeremias;
(9) o palácio de Sargão II, rei da Assíria mencionado em Isaías 20:1, descoberto em 1843, por Paul Emile Botta, de cuja existência os historiadores seculares duvidavam até essa descoberta;
(10) o obelisco negro de Salmaneser.
publicado por wellcorp às 08:32 | link do post
Origem site: http://www.icibsb.org.br
Arqueologia
Mark Templer

2 Pedro 1:16 - Pedro sabia da diferença entre histórias e realidade quando falou a respeito de Jesus. A Bíblia não é um livro de contos, mas um relato histórico de eventos espirituais.
Lucas 1:1-5 - Lucas era um médico. O seu relato no livro de Atos (também escrito por ele) é considerado como um relato histórico verídico do período. O grego usado por Lucas nessa passagem também é admirado por sua beleza eloquente, e reflete o nível cultural do autor. Porque estou dizendo tudo isso? Para dizer que Lucas era um homem inteligente e pensador, e de quem o relato a respeito de Jesus pode ser confiado. O relato é baseado em testemunhas oculares, fruto de investigação "com cuidado", colocado "em ordem", para que se conheça a "verdade", refletindo o fato de que a vida de Jesus não é um mito ou um conto de fadas exagerado. Ele é um fato histórico: ou a história de Jesus é VERDADEIRA ou é FALSA.
A vida de Jesus se encaixa num contexto histórico. A época: O reino do rei Herodes; O lugar: Judéia; As pessoas: Zacarias e Isabel (até a ascendência deles é dada!) - Lucas 2:1-7 - O nascimento de Cristo: mais uma vez, num contexto histórico; A época: O reino de Augusto César, na época do censo que alcançaria o mundo. Cirênio era o governador da Síria; O lugar: Nazaré, Galiléia, Belém (essas cidades existem até hoje!) - Lucas 3:1-2 - O começo da pregação de João está contextualizado com governantes locais! Não é um mito. Todos os governantes locais foram mencionados - isso só poderia ser escrito por alguém que conhecia a fundo todos os detalhes, e não por alguém que estivesse inventando e embelezando um mito, muitas décadas depois.
A Bíblia é um livro histórico. Jamais poderemos comprovar os detalhes dos acontecimentos nela relatados, mas existem muitos registros descobertos pela arqueologia que vêm provar não ser a Bíblia um mito ou mentira. Alguém mentiroso não mentiria a respeito de uma, mas de várias coisas. Portanto, se descobrirmos mentiras ou imprecisões nos relatos históricos da Bíblia, a credibilidade dos relatos de milagres será também comprometida. Por outro lado, se os detalhes históricos forem verdadeiros, a veracidade dos relatos de milagres não deveria gerar duvidas!
Veja a seguir uma lista empolgante de descobertas arqueológicas (a maior parte dos últimos 200 anos). Muitas delas podem ser achadas no suplemento arqueológico da Bíblia de Referência Thompson. Outras estão documentados em livros como "The Stones Cry Out", de Randall Price, 1997. Outra fonte é a Bíblica/ Arqueology, uma publicação de arqueologia crítica conhecida, que também documenta muitas descobertas. A Biblioteca Britânica, na Euston Road, contém cópias de dois dos três Novos Testamentos completos mais velhos, Sinaiticus e Alexandrinus (o terceiro, Vaticanus, encontra-se em Roma). O Museu Britânico, no Russel Square, também contém uma seção da ala oeste de Arqueologia Bíblica do Oriente Médio, a qual inclui muitas descobertas famosas, algumas descritas abaixo. Novas descobertas arqueológicas estão acontecendo ano a ano, aumentando ainda mais a fé em Jesus Cristo.
1 - As placas de pedra da região central do Egito, Tell-el Armana, do governo dos faraós Amenhotep III e IV (1413-1358 a.C) foram escritas em cuneiforme babilónico*, apesar de terem sido achadas no Egito e originadas de várias nações. Isso mostra que existia um meio de comunicação comum a todos nesses lugares e, portanto, pessoas como Abraão (ao redor de 2000-1800 a.C.) e Moisés (ao redor de 1500-1300 a.C.) poderiam se comunicar com pessoas diversas nas suas viagens. Essas placas mencionam o povo "Habiru" em cartas escritas aos faraós de cidades cananéias como Gezer.
2 - Cidades filistéias como Ashkelon, citadas na Bíblia, foram descobertas.
3 - Em Atenas, o monte de Marte e o Areópago (Atos 17), onde Paulo pregou, foram encontrados. Nenhuma ruína de um altar com inscrições "AO DEUS DESCONHECIDO" foi encontrada em Atenas, mas uma inscrição idêntica foi descoberta em Pérgamo!
4 - Cidades como Betânia (a cidade de Maria e Marta), Betsaída e Cafarnaum foram descobertas. O templo onde Jesus pregou em Lucas 4 foi ali encontrado. Também em Cafarnaum, eles acharam uma igreja octogonal antiga, construída sobre uma estrutura ainda mais antiga com escritos de Cristãos do século II e III nas paredes. Os Cristãos do século IV (320 d.C.) começaram a construir igrejas octogonais em locais geográficos que foram importantes no Novo Testamento. É provável que a estrutura sobre a qual a igreja foi construída fosse a casa da família de Pedro, em Cafarnaum, no primeiro século.
5 - Perto de Belém pode ser visto em uma estrada o túmulo de Raquel.
6 - Em Beth Shemesh (uma cidade Levítica), foi encontrada a alça de um jarro na qual estava escrito: "pertence a Eliakim, servo de Jehoiachin".
7 - Em Calah, perto do rio Tigre, um obelisco negro, colocado ali por Shalmanasar III da Assíria, foi encontrado, e nesse ele fala de suas conquistas: "Naquela hora eu recebi o tributo dos moradores de Tiro, Sidan e de Jehu, filho de Omri... O tributo de Jehu, filho de Omri: Eu recebi dele prata, ouro, um prato dourado, um vaso dourado com um fundo pontiagudo, grandes jarros dourados, barras de chumbo, cetros para o rei e lanças..."
8 - Em Coríntios, um bloco de calcário foi descoberto, dizendo "Erasto, o comissionário da cidade, pavimentou essa praça com o seu próprio dinheiro". Paulo se referiu a ele em Romanos 16:23.
9 - Em Damasco um templo foi achado, provavelmente o templo de Rimom a que se refere 2 Reis 5:17-18, e aquele que Acaz viu em 2 Reis 16:10-13.
10 - Em 1947 em Qumran, ao norte do Mar Morto, em Israel, foram encontrados milhares de fragmentos de manuscritos em cavernas. Estes tinham sido escondidos ali, provavelmente por alguma comunidade judaica, por volta de 67 d.C. Dentre eles estão todos os livros do Velho Testamento, com exceção de Ester, e também muitos outros documentos. O que é significante a respeito desses documentos é que eles foram escritos por volta de 100 a.C., e o seu conteúdo é quase idêntico aos mais antigos textos hebreus, que vêm dos séculos terceiro e quarto depois de Cristo. Por muito tempo estudiosos haviam questionado se os cristãos teriam modificado a bíblia hebraica para fazer com que as profecias anunciassem a vinda de Cristo. No entanto, esses manuscritos do Mar Morto de antes da vinda de Jesus, claramente mostram Isaías 53 , Salmo 22, e outras profecias que foram escritas muito antes de Jesus.
11 - Em Dibon, antiga capital de Mesa, o rei de Moabe, a 'Pedra Moabita" foi achada. Essa pedra conta a respeito da rebelião contra o país de Israel, (2 Reis 3 fala a respeito de Mesa e a rebelião moabita, e até relata milagres).
12 - Em Ebla, que na antiguidade situava-se entre o Egito e a Assíria, mais de 20.000 placas de pedra foram descobertas, biblioteca administrativa de uma grande civilização datada de um período ao redor de 2.000 a.C. Essas placas mencionam transações de negócios entre as cidades mencionadas em Gênesis 14:2, em ordem: Sodoma, Gomorra, Admá, Zeboim, e Bela = Zoar. Portanto, até mesmo a história de Sodoma e Gomorra tem raízes históricas comprovadas!
13 - Em Éfeso, eles acharam o templo de Diana dos Efésios, e um teatro com capacidade para 24.000 pessoas sentadas, onde a desordem de Atos 19:23-41 deve ter acontecido.
14 - Túmulos foram encontrados ao redor de Jerusalém com vestígios da comunidade cristã antiga. Uma moeda foi achada no túmulo, cunhada pelo rei Agripa, em 41d.C. Nesse jazido familiar um homem chamado Matias foi enterrado com uma inscrição " [para] Jesus, o Senhor". Outro túmulo tinha a inscrição, "[para] Jesus... ascendeu". Esses dois ossuários tinham cruzes neles. Um terceiro túmulo foi encontrado com uma cruz e o nome Bar-sabás. E é exatamente em Atos 1:21-22, 15:22 gue nós lemos a respeito da família Barsabás.
15 - Em Gibeão, foi descoberta uma piscina escavada com pedras e alças de potes com nomes bíblicos, como "Hananias". Jeremias 28:1 relata sobre Hananias de Gibeão, um inimigo de Jeremias. Essa piscina é provavelmente aquela à qual se refere 2 Samuel 2, onde os soldados de Joabe e Ahmu lutaram e morreram.
16 - O poço de Jacó (o mesmo no qual Jesus encontrou a mulher samaritana) ainda está ativo, e situa-se no sul de Sicar, na estrada saindo de Jerusalém.
17 - A cidade de Jericó da Antiguidade foi escavada, e as paredes que caíram na época de Josué foram encontradas.
18 - Em Jerusalém também foi encontrado o túnel de Ezequias (2 Reis 20:20), ligando a nascente de Gihon com a piscina de Siloam. Outras escavações descobriram uma pedra chamada "aos postos, anunciem as trombetas", que era do tempo do tempo de Jesus.
19 - Korsobade era a capital do reinado de Sargão, o rei da Assíria, a quem Isaías se refere (20:1). Achava-se que esse rei tinha sido mitológico até que seu palácio foi escavado ali (Museu Britânico).
20 - Laquis é uma cidade mencionada em Isaías 36:2, quando Senaqueribe, rei da Assíria, foi para lá a fim de conquistar Jerusalém. Existem várias evidências arqueológicas da campanha de Senaqueribe contra Judá. Um prisma assírio, contendo inscrições a respeito das conquistas desse rei, lista dezenas de cidades conquistadas, incluindo Laquis, mas não menciona Jerusalém (que, de acordo com Isaías 36 e 37, foi milagrosamente salva da destruição). As ruínas de Laquis foram descobertas, incluindo uma rampa assíria que se elevava até o local do trono, pontas de flecha, pedras de catapultas usadas no ataque e muitos outros artefatos da batalha final que havia sido travada ali. Em Nineveh, o palácio antigo de Senaqueribe foi descoberto, e nele esculturas gigantescas mostram toda a conquista de Laquis. O impressionante é que, com todo o seu poder, Senaqueribe não foi capaz de conquistar Jerusalém, assim como já narravam as Escrituras.
21 - Em Nuzi, hoje território do Iraque, 20.000 placas de pedra dos séculos 15 e 14 a.C. foram descobertas. Essas placas eram os escritos de famílias proeminentes da região por 4-5 gerações. O seu conteúdo lista muitas práticas descritas em Gênesis: Troca de propriedades - transações com propriedades aconteciam e se finalizavam no portão da cidade (Gen 23: l0-18). Contratos de casamento - um servo poderia ser acrescentado como dote à uma nova esposa (Gen 29:24,29) ou ma mulher sem filhos poderia dar a sua serva ao seu marido para assim ter filhos dele (Gen 16:3 narra que Hagar foi dada a Abraão, e Gen 30:3-6 nos diz que Billah foi dada a Jacob), Adoção - Casais sem crianças podiam adotar um herdeiro, como Abraão fez com Eliezer de Damasco (Ge 15:2). Herança - Propriedades e posições de liderança poderiam ser passadas ao marido da filha, caso ele posuísse as imagens da família (Gen 31:30-35 diz que Raquel roubou as imagens da família de Labão).
22 - Na Samaria, milhares de pedaços de marfim que haviam decorado paredes de palácios e mobílias foram descobertos, l Reis 22:39 nos fala a respeito do palácio de marfim de Acabe nessa cidade, e Am 3:15 e 6:1,4 fala a respeito das casas de marfim e mobílias de Israel.
23 - Tessalônica - em Atos 17:6,8 as autoridades foram chamadas de "politarchs" por Lucas. Estudiosos nunca tinham visto esse termo na literatura grega do primeiro século, por isso eles concluíram que Lucas estava errado (ou que ele tivesse escrito o Evangelho muito depois). No entanto, encontrou-se um portão de Tessalônica do primeiro século no qual estava escrito o termo "politarch" e até mesmo os seus nomes. Esse portão é provavelmente o mesmo que Lucas e Paulo viram quando eles estavam lá.
24 - Na Galiléia, debaixo da lama do mar da Galiléia, um barco do século I foi escavado, depois de ter sido visto quando o nível da água estava baixo. Esse barco provavelmente foi afundado durante os ataques romanos na Galiléia ao redor de 70 d.C., e é parecido com os barcos que Jesus e Pedro provavelmente usaram.
25 - Cirênio é citado como governador da Síria em Lucas 2:2. Uma moeda da época 11-4 a.C. foi achada, citando-o como procônsul da Síria.
26 - Na Cesaréia, uma pedra foi achada com o nome de Pilatos mencionado: "Pôncio Pilatos, governador da Judéia."
27 - Ezion-Geber era uma cidade portuária mencionada na Bíblia, que já havia sido perdida há muito tempo (l Reis 9:26, 10:22). Arqueólogos eminentes usaram as Escrituras para tentar localizar a cidade, e eles a acharam na década de 50.
28 - Uma inscrição foi achada em Tel Dan, escrita por Hazael de Aram, dizendo: "Eu matei Jorão, o filho de Acabe, rei de Israel, e eu matei Acazias filho de Jeorão, rei do Palácio de David" (2 Reis 8:7-15, 9:6-10).
29 - Muitos carimbos e anéis-sinete, usados por professores da Lei e por servos de reis para selar documentos, foram achados. Um desses carimbos, do século 7 a.C., tem a inscrição, "pertence a Baruch, filho de Nerias, o professor da Lei". Esse carimbo ainda tem uma impressão digital nele! É claro que Baruch, filho de Nerias, é mencionado pelo menos 32 vezes na Bíblia (Jer 36:4). Outro carimbo pertenceu a "Gmaryuhu filho de Shaphan", e provavelmente se refere a Gemariah, o filho de Shaphan (Jer 36:10). Ainda outro carimbo diz "para Jerahmeel, o filho do rei", que é mencionado em Jer 36:26. Finalmente, ainda outro carimbo foi achado com a inscrição, "Seraías filho [de] Neriah", mencionado em Jer 51:59-61.
30 - Em Deir Allah, uma inscrição do século 8 mencionando Ballamu (Nu 22) foi descoberta escrita em gesso com tinta vermelha e preta.
31 - Num túmulo em Hinnon Valley, um fragmento de um manuscrito de prata foi achado com a bênção de Nu 6:24-26 escrita nele, da época do século 6 a.C. Esse é o fragmento da Bíblia mais antigo que já foi encontrado.
32 - No marco de pedra de Memeptah - de 1230 a.C. - o faraó egípcio Merneptah fala a respeito de ataques ao Canaan, e menciona Israel. Essa lista de descobertas arqueológicas não é de maneira alguma completa, mas já nos dá uma idéia da qualidade das evidências que sustentam a historicidade da Bíblia, e a precisão das Escrituras.
publicado por wellcorp às 05:39 | link do post
Origem site: http://www.icibsb.org.br
Arqueologia
Mark Templer

2 Pedro 1:16 - Pedro sabia da diferença entre histórias e realidade quando falou a respeito de Jesus. A Bíblia não é um livro de contos, mas um relato histórico de eventos espirituais.
Lucas 1:1-5 - Lucas era um médico. O seu relato no livro de Atos (também escrito por ele) é considerado como um relato histórico verídico do período. O grego usado por Lucas nessa passagem também é admirado por sua beleza eloquente, e reflete o nível cultural do autor. Porque estou dizendo tudo isso? Para dizer que Lucas era um homem inteligente e pensador, e de quem o relato a respeito de Jesus pode ser confiado. O relato é baseado em testemunhas oculares, fruto de investigação "com cuidado", colocado "em ordem", para que se conheça a "verdade", refletindo o fato de que a vida de Jesus não é um mito ou um conto de fadas exagerado. Ele é um fato histórico: ou a história de Jesus é VERDADEIRA ou é FALSA.
A vida de Jesus se encaixa num contexto histórico. A época: O reino do rei Herodes; O lugar: Judéia; As pessoas: Zacarias e Isabel (até a ascendência deles é dada!) - Lucas 2:1-7 - O nascimento de Cristo: mais uma vez, num contexto histórico; A época: O reino de Augusto César, na época do censo que alcançaria o mundo. Cirênio era o governador da Síria; O lugar: Nazaré, Galiléia, Belém (essas cidades existem até hoje!) - Lucas 3:1-2 - O começo da pregação de João está contextualizado com governantes locais! Não é um mito. Todos os governantes locais foram mencionados - isso só poderia ser escrito por alguém que conhecia a fundo todos os detalhes, e não por alguém que estivesse inventando e embelezando um mito, muitas décadas depois.
A Bíblia é um livro histórico. Jamais poderemos comprovar os detalhes dos acontecimentos nela relatados, mas existem muitos registros descobertos pela arqueologia que vêm provar não ser a Bíblia um mito ou mentira. Alguém mentiroso não mentiria a respeito de uma, mas de várias coisas. Portanto, se descobrirmos mentiras ou imprecisões nos relatos históricos da Bíblia, a credibilidade dos relatos de milagres será também comprometida. Por outro lado, se os detalhes históricos forem verdadeiros, a veracidade dos relatos de milagres não deveria gerar duvidas!
Veja a seguir uma lista empolgante de descobertas arqueológicas (a maior parte dos últimos 200 anos). Muitas delas podem ser achadas no suplemento arqueológico da Bíblia de Referência Thompson. Outras estão documentados em livros como "The Stones Cry Out", de Randall Price, 1997. Outra fonte é a Bíblica/ Arqueology, uma publicação de arqueologia crítica conhecida, que também documenta muitas descobertas. A Biblioteca Britânica, na Euston Road, contém cópias de dois dos três Novos Testamentos completos mais velhos, Sinaiticus e Alexandrinus (o terceiro, Vaticanus, encontra-se em Roma). O Museu Britânico, no Russel Square, também contém uma seção da ala oeste de Arqueologia Bíblica do Oriente Médio, a qual inclui muitas descobertas famosas, algumas descritas abaixo. Novas descobertas arqueológicas estão acontecendo ano a ano, aumentando ainda mais a fé em Jesus Cristo.
1 - As placas de pedra da região central do Egito, Tell-el Armana, do governo dos faraós Amenhotep III e IV (1413-1358 a.C) foram escritas em cuneiforme babilónico*, apesar de terem sido achadas no Egito e originadas de várias nações. Isso mostra que existia um meio de comunicação comum a todos nesses lugares e, portanto, pessoas como Abraão (ao redor de 2000-1800 a.C.) e Moisés (ao redor de 1500-1300 a.C.) poderiam se comunicar com pessoas diversas nas suas viagens. Essas placas mencionam o povo "Habiru" em cartas escritas aos faraós de cidades cananéias como Gezer.
2 - Cidades filistéias como Ashkelon, citadas na Bíblia, foram descobertas.
3 - Em Atenas, o monte de Marte e o Areópago (Atos 17), onde Paulo pregou, foram encontrados. Nenhuma ruína de um altar com inscrições "AO DEUS DESCONHECIDO" foi encontrada em Atenas, mas uma inscrição idêntica foi descoberta em Pérgamo!
4 - Cidades como Betânia (a cidade de Maria e Marta), Betsaída e Cafarnaum foram descobertas. O templo onde Jesus pregou em Lucas 4 foi ali encontrado. Também em Cafarnaum, eles acharam uma igreja octogonal antiga, construída sobre uma estrutura ainda mais antiga com escritos de Cristãos do século II e III nas paredes. Os Cristãos do século IV (320 d.C.) começaram a construir igrejas octogonais em locais geográficos que foram importantes no Novo Testamento. É provável que a estrutura sobre a qual a igreja foi construída fosse a casa da família de Pedro, em Cafarnaum, no primeiro século.
5 - Perto de Belém pode ser visto em uma estrada o túmulo de Raquel.
6 - Em Beth Shemesh (uma cidade Levítica), foi encontrada a alça de um jarro na qual estava escrito: "pertence a Eliakim, servo de Jehoiachin".
7 - Em Calah, perto do rio Tigre, um obelisco negro, colocado ali por Shalmanasar III da Assíria, foi encontrado, e nesse ele fala de suas conquistas: "Naquela hora eu recebi o tributo dos moradores de Tiro, Sidan e de Jehu, filho de Omri... O tributo de Jehu, filho de Omri: Eu recebi dele prata, ouro, um prato dourado, um vaso dourado com um fundo pontiagudo, grandes jarros dourados, barras de chumbo, cetros para o rei e lanças..."
8 - Em Coríntios, um bloco de calcário foi descoberto, dizendo "Erasto, o comissionário da cidade, pavimentou essa praça com o seu próprio dinheiro". Paulo se referiu a ele em Romanos 16:23.
9 - Em Damasco um templo foi achado, provavelmente o templo de Rimom a que se refere 2 Reis 5:17-18, e aquele que Acaz viu em 2 Reis 16:10-13.
10 - Em 1947 em Qumran, ao norte do Mar Morto, em Israel, foram encontrados milhares de fragmentos de manuscritos em cavernas. Estes tinham sido escondidos ali, provavelmente por alguma comunidade judaica, por volta de 67 d.C. Dentre eles estão todos os livros do Velho Testamento, com exceção de Ester, e também muitos outros documentos. O que é significante a respeito desses documentos é que eles foram escritos por volta de 100 a.C., e o seu conteúdo é quase idêntico aos mais antigos textos hebreus, que vêm dos séculos terceiro e quarto depois de Cristo. Por muito tempo estudiosos haviam questionado se os cristãos teriam modificado a bíblia hebraica para fazer com que as profecias anunciassem a vinda de Cristo. No entanto, esses manuscritos do Mar Morto de antes da vinda de Jesus, claramente mostram Isaías 53 , Salmo 22, e outras profecias que foram escritas muito antes de Jesus.
11 - Em Dibon, antiga capital de Mesa, o rei de Moabe, a 'Pedra Moabita" foi achada. Essa pedra conta a respeito da rebelião contra o país de Israel, (2 Reis 3 fala a respeito de Mesa e a rebelião moabita, e até relata milagres).
12 - Em Ebla, que na antiguidade situava-se entre o Egito e a Assíria, mais de 20.000 placas de pedra foram descobertas, biblioteca administrativa de uma grande civilização datada de um período ao redor de 2.000 a.C. Essas placas mencionam transações de negócios entre as cidades mencionadas em Gênesis 14:2, em ordem: Sodoma, Gomorra, Admá, Zeboim, e Bela = Zoar. Portanto, até mesmo a história de Sodoma e Gomorra tem raízes históricas comprovadas!
13 - Em Éfeso, eles acharam o templo de Diana dos Efésios, e um teatro com capacidade para 24.000 pessoas sentadas, onde a desordem de Atos 19:23-41 deve ter acontecido.
14 - Túmulos foram encontrados ao redor de Jerusalém com vestígios da comunidade cristã antiga. Uma moeda foi achada no túmulo, cunhada pelo rei Agripa, em 41d.C. Nesse jazido familiar um homem chamado Matias foi enterrado com uma inscrição " [para] Jesus, o Senhor". Outro túmulo tinha a inscrição, "[para] Jesus... ascendeu". Esses dois ossuários tinham cruzes neles. Um terceiro túmulo foi encontrado com uma cruz e o nome Bar-sabás. E é exatamente em Atos 1:21-22, 15:22 gue nós lemos a respeito da família Barsabás.
15 - Em Gibeão, foi descoberta uma piscina escavada com pedras e alças de potes com nomes bíblicos, como "Hananias". Jeremias 28:1 relata sobre Hananias de Gibeão, um inimigo de Jeremias. Essa piscina é provavelmente aquela à qual se refere 2 Samuel 2, onde os soldados de Joabe e Ahmu lutaram e morreram.
16 - O poço de Jacó (o mesmo no qual Jesus encontrou a mulher samaritana) ainda está ativo, e situa-se no sul de Sicar, na estrada saindo de Jerusalém.
17 - A cidade de Jericó da Antiguidade foi escavada, e as paredes que caíram na época de Josué foram encontradas.
18 - Em Jerusalém também foi encontrado o túnel de Ezequias (2 Reis 20:20), ligando a nascente de Gihon com a piscina de Siloam. Outras escavações descobriram uma pedra chamada "aos postos, anunciem as trombetas", que era do tempo do tempo de Jesus.
19 - Korsobade era a capital do reinado de Sargão, o rei da Assíria, a quem Isaías se refere (20:1). Achava-se que esse rei tinha sido mitológico até que seu palácio foi escavado ali (Museu Britânico).
20 - Laquis é uma cidade mencionada em Isaías 36:2, quando Senaqueribe, rei da Assíria, foi para lá a fim de conquistar Jerusalém. Existem várias evidências arqueológicas da campanha de Senaqueribe contra Judá. Um prisma assírio, contendo inscrições a respeito das conquistas desse rei, lista dezenas de cidades conquistadas, incluindo Laquis, mas não menciona Jerusalém (que, de acordo com Isaías 36 e 37, foi milagrosamente salva da destruição). As ruínas de Laquis foram descobertas, incluindo uma rampa assíria que se elevava até o local do trono, pontas de flecha, pedras de catapultas usadas no ataque e muitos outros artefatos da batalha final que havia sido travada ali. Em Nineveh, o palácio antigo de Senaqueribe foi descoberto, e nele esculturas gigantescas mostram toda a conquista de Laquis. O impressionante é que, com todo o seu poder, Senaqueribe não foi capaz de conquistar Jerusalém, assim como já narravam as Escrituras.
21 - Em Nuzi, hoje território do Iraque, 20.000 placas de pedra dos séculos 15 e 14 a.C. foram descobertas. Essas placas eram os escritos de famílias proeminentes da região por 4-5 gerações. O seu conteúdo lista muitas práticas descritas em Gênesis: Troca de propriedades - transações com propriedades aconteciam e se finalizavam no portão da cidade (Gen 23: l0-18). Contratos de casamento - um servo poderia ser acrescentado como dote à uma nova esposa (Gen 29:24,29) ou ma mulher sem filhos poderia dar a sua serva ao seu marido para assim ter filhos dele (Gen 16:3 narra que Hagar foi dada a Abraão, e Gen 30:3-6 nos diz que Billah foi dada a Jacob), Adoção - Casais sem crianças podiam adotar um herdeiro, como Abraão fez com Eliezer de Damasco (Ge 15:2). Herança - Propriedades e posições de liderança poderiam ser passadas ao marido da filha, caso ele posuísse as imagens da família (Gen 31:30-35 diz que Raquel roubou as imagens da família de Labão).
22 - Na Samaria, milhares de pedaços de marfim que haviam decorado paredes de palácios e mobílias foram descobertos, l Reis 22:39 nos fala a respeito do palácio de marfim de Acabe nessa cidade, e Am 3:15 e 6:1,4 fala a respeito das casas de marfim e mobílias de Israel.
23 - Tessalônica - em Atos 17:6,8 as autoridades foram chamadas de "politarchs" por Lucas. Estudiosos nunca tinham visto esse termo na literatura grega do primeiro século, por isso eles concluíram que Lucas estava errado (ou que ele tivesse escrito o Evangelho muito depois). No entanto, encontrou-se um portão de Tessalônica do primeiro século no qual estava escrito o termo "politarch" e até mesmo os seus nomes. Esse portão é provavelmente o mesmo que Lucas e Paulo viram quando eles estavam lá.
24 - Na Galiléia, debaixo da lama do mar da Galiléia, um barco do século I foi escavado, depois de ter sido visto quando o nível da água estava baixo. Esse barco provavelmente foi afundado durante os ataques romanos na Galiléia ao redor de 70 d.C., e é parecido com os barcos que Jesus e Pedro provavelmente usaram.
25 - Cirênio é citado como governador da Síria em Lucas 2:2. Uma moeda da época 11-4 a.C. foi achada, citando-o como procônsul da Síria.
26 - Na Cesaréia, uma pedra foi achada com o nome de Pilatos mencionado: "Pôncio Pilatos, governador da Judéia."
27 - Ezion-Geber era uma cidade portuária mencionada na Bíblia, que já havia sido perdida há muito tempo (l Reis 9:26, 10:22). Arqueólogos eminentes usaram as Escrituras para tentar localizar a cidade, e eles a acharam na década de 50.
28 - Uma inscrição foi achada em Tel Dan, escrita por Hazael de Aram, dizendo: "Eu matei Jorão, o filho de Acabe, rei de Israel, e eu matei Acazias filho de Jeorão, rei do Palácio de David" (2 Reis 8:7-15, 9:6-10).
29 - Muitos carimbos e anéis-sinete, usados por professores da Lei e por servos de reis para selar documentos, foram achados. Um desses carimbos, do século 7 a.C., tem a inscrição, "pertence a Baruch, filho de Nerias, o professor da Lei". Esse carimbo ainda tem uma impressão digital nele! É claro que Baruch, filho de Nerias, é mencionado pelo menos 32 vezes na Bíblia (Jer 36:4). Outro carimbo pertenceu a "Gmaryuhu filho de Shaphan", e provavelmente se refere a Gemariah, o filho de Shaphan (Jer 36:10). Ainda outro carimbo diz "para Jerahmeel, o filho do rei", que é mencionado em Jer 36:26. Finalmente, ainda outro carimbo foi achado com a inscrição, "Seraías filho [de] Neriah", mencionado em Jer 51:59-61.
30 - Em Deir Allah, uma inscrição do século 8 mencionando Ballamu (Nu 22) foi descoberta escrita em gesso com tinta vermelha e preta.
31 - Num túmulo em Hinnon Valley, um fragmento de um manuscrito de prata foi achado com a bênção de Nu 6:24-26 escrita nele, da época do século 6 a.C. Esse é o fragmento da Bíblia mais antigo que já foi encontrado.
32 - No marco de pedra de Memeptah - de 1230 a.C. - o faraó egípcio Merneptah fala a respeito de ataques ao Canaan, e menciona Israel. Essa lista de descobertas arqueológicas não é de maneira alguma completa, mas já nos dá uma idéia da qualidade das evidências que sustentam a historicidade da Bíblia, e a precisão das Escrituras.
publicado por wellcorp às 05:39 | link do post
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Dezembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
comentários recentes
Eu já disse que você é demais, mas, não custa nadi...
Você é um ser lindo!
tudo precisa de fundamento:oque significa raiz ori...
tudo precisa de fundamento:oque significa raiz ori...
You pretty much said what i could not effectively ...
You pretty much said what i could not effectively ...
Maneiro!
Maneiro!
tags

todas as tags

SAPO Blogs