Um Blog de poesia, imagens estudos das Escrituras, mensagens e textos engraçados



A extraordinária beleza da indiana Aishwarya Rai estrela do filme intitulado no Brasil
"Noiva e Preconceito" comédia romantica indiana baseada em "Orgulho e preconceito"

Noiva e Preconceito é a versão bollywoodiana do clássico "Orgulho e Preconceito", livro escrito por Jane Austen.

- Este é o 1º filme de Aishwarya Rai inteiramente falado em língua inglesa.

- Antes do início das filmagens a atriz Aishwarya Rai não quis ler "Orgulho e Preconceito", para evitar que a personagem do livro a influenciasse.

- Aishwarya Rai ganhou cerca de 9 quilos para interpretar sua personagem em Noiva e Preconceito, já que acreditava que sua personagem não deveria ter a aparência física de uma modelo e sim uma aparência mais realista.

- Johnny Depp e Joaquin Phoenix estiveram cotados para interpretar o personagem William Darcy.

- Um personagem chegou a ser oferecido a Shahrukh Khan, que o recusou.

- De acordo com Gurindher Chadha, a aparição de Ashanti em Noiva e Preconceito é uma homenagem à tradição dos filmes de Bollywood de uma celebridade aparecer em uma ponta e cantar uma canção que não esteja diretamente envolvida com a trama central do filme. Os demais personagens não interagem com esta celebridade, mas é possível vê-los na multidão apreciando o show.

- A cena da canção de casamento Punjabi e o número de dança levou 6 dias para ser rodada.

- Durante os créditos finais são exibidos erros de filmagens, cenas de bastidores e ainda clips de integrantes do elenco e da equipe técnica cantando sozinhos músicas do filme.

- Esta é a 4ª adaptação do livro de Jane Austen para o cinema. As demais foram Orgulho e Preconceito (1940), Pride and Prejudice (2003) e Orgulho e Preconceito (2005).

- Exibido na mostra Panorama do Cinema Mundial, no Festival do Rio 2005.

- O orçamento de Noiva e Preconceito foi de US$ 7 milhões.
publicado por wellcorp às 16:20 | link do post



A extraordinária beleza da indiana Aishwarya Rai estrela do filme intitulado no Brasil
"Noiva e Preconceito" comédia romantica indiana baseada em "Orgulho e preconceito"

Noiva e Preconceito é a versão bollywoodiana do clássico "Orgulho e Preconceito", livro escrito por Jane Austen.

- Este é o 1º filme de Aishwarya Rai inteiramente falado em língua inglesa.

- Antes do início das filmagens a atriz Aishwarya Rai não quis ler "Orgulho e Preconceito", para evitar que a personagem do livro a influenciasse.

- Aishwarya Rai ganhou cerca de 9 quilos para interpretar sua personagem em Noiva e Preconceito, já que acreditava que sua personagem não deveria ter a aparência física de uma modelo e sim uma aparência mais realista.

- Johnny Depp e Joaquin Phoenix estiveram cotados para interpretar o personagem William Darcy.

- Um personagem chegou a ser oferecido a Shahrukh Khan, que o recusou.

- De acordo com Gurindher Chadha, a aparição de Ashanti em Noiva e Preconceito é uma homenagem à tradição dos filmes de Bollywood de uma celebridade aparecer em uma ponta e cantar uma canção que não esteja diretamente envolvida com a trama central do filme. Os demais personagens não interagem com esta celebridade, mas é possível vê-los na multidão apreciando o show.

- A cena da canção de casamento Punjabi e o número de dança levou 6 dias para ser rodada.

- Durante os créditos finais são exibidos erros de filmagens, cenas de bastidores e ainda clips de integrantes do elenco e da equipe técnica cantando sozinhos músicas do filme.

- Esta é a 4ª adaptação do livro de Jane Austen para o cinema. As demais foram Orgulho e Preconceito (1940), Pride and Prejudice (2003) e Orgulho e Preconceito (2005).

- Exibido na mostra Panorama do Cinema Mundial, no Festival do Rio 2005.

- O orçamento de Noiva e Preconceito foi de US$ 7 milhões.
publicado por wellcorp às 16:20 | link do post

Até que se aquietem os vales



E foram histórias tristes,
Dentre fábulas fantásticas
E desceram montes apáticos
Vestidos de couraças gélidas
E criam naquelas bandeiras
Na verdade, estandartes levantados
Por jovens de mãos fortes
Acostumados com o gemido das batalhas
E foram torrões acesos
Brilhando com suas espadas
Por entre as vielas Curdas
Por entre os pastos queimados
Sangrando homens treinados
Gritavam cavalos baios
Brindavam espadas raras
Cresciam pavores plenos
Marechais e comandantes
Seus soldados agora errantes
Entre as pilhas dos caídos
Entre os gritos dos vencidos
Avante! Cavalos baios
Por esses morros infames
Lutar na guerra sem nome
Até não poder correr mais livremente
Até que só sobre a fome.
Caiam desfraldadas bandeiras
Caiam pendões entre mãos trêmulas
Até que se aquietem os vales
Até que se aquietem os vales

Welington
publicado por wellcorp às 15:59 | link do post

Até que se aquietem os vales



E foram histórias tristes,
Dentre fábulas fantásticas
E desceram montes apáticos
Vestidos de couraças gélidas
E criam naquelas bandeiras
Na verdade, estandartes levantados
Por jovens de mãos fortes
Acostumados com o gemido das batalhas
E foram torrões acesos
Brilhando com suas espadas
Por entre as vielas Curdas
Por entre os pastos queimados
Sangrando homens treinados
Gritavam cavalos baios
Brindavam espadas raras
Cresciam pavores plenos
Marechais e comandantes
Seus soldados agora errantes
Entre as pilhas dos caídos
Entre os gritos dos vencidos
Avante! Cavalos baios
Por esses morros infames
Lutar na guerra sem nome
Até não poder correr mais livremente
Até que só sobre a fome.
Caiam desfraldadas bandeiras
Caiam pendões entre mãos trêmulas
Até que se aquietem os vales
Até que se aquietem os vales

Welington
publicado por wellcorp às 15:59 | link do post

Reinvenção

A vida só é possível
reinventada.

Anda o sol pelas campinas
e passeia a mão dourada
pelas águas, pelas folhas...
Ah! tudo bolhas
que vem de fundas piscinas
de ilusionismo... - mais nada.

Mas a vida, a vida, a vida,
a vida só é possível
reinventada.

Vem a lua, vem, retira
as algemas dos meus braços.
Projeto-me por espaços
cheios da tua Figura.
Tudo mentira! Mentira
da lua, na noite escura.

Não te encontro, não te alcanço...
Só - no tempo equilibrada,
desprendo-me do balanço
que além do tempo me leva.
Só - na treva,
fico: recebida e dada.

Porque a vida, a vida, a vida,
a vida só é possível
reinventada.

Cecilia Meyrelles.

Há um instante magistral no coração humano,
quando sua alma se afeiçoa as palavras
e elas fluem como rios
Embaladas pelo som do coração.
Um momento cheio de mistérios
Quando o poeta ultrapassa os limites de sua
insólita inspiração
E sendo mais pleno que sua limitação
Transpõe a barreira do tempo
E se torna profeta
Mesmo que por alguns instantes.
Como as canções que habitavam os céus
Antes de se tornarem o saltério
Que o pastor de ovelhas Davi
Entoou por todos os dias
Dessa sua vida transformada em salmos.
Eu vejo as mesmas cores
Eu sinto o mesmo cheiro
Em algumas canções da alma
De nossa grande poetisa,
Cecília.

Welington

publicado por wellcorp às 15:46 | link do post

Reinvenção

A vida só é possível
reinventada.

Anda o sol pelas campinas
e passeia a mão dourada
pelas águas, pelas folhas...
Ah! tudo bolhas
que vem de fundas piscinas
de ilusionismo... - mais nada.

Mas a vida, a vida, a vida,
a vida só é possível
reinventada.

Vem a lua, vem, retira
as algemas dos meus braços.
Projeto-me por espaços
cheios da tua Figura.
Tudo mentira! Mentira
da lua, na noite escura.

Não te encontro, não te alcanço...
Só - no tempo equilibrada,
desprendo-me do balanço
que além do tempo me leva.
Só - na treva,
fico: recebida e dada.

Porque a vida, a vida, a vida,
a vida só é possível
reinventada.

Cecilia Meyrelles.

Há um instante magistral no coração humano,
quando sua alma se afeiçoa as palavras
e elas fluem como rios
Embaladas pelo som do coração.
Um momento cheio de mistérios
Quando o poeta ultrapassa os limites de sua
insólita inspiração
E sendo mais pleno que sua limitação
Transpõe a barreira do tempo
E se torna profeta
Mesmo que por alguns instantes.
Como as canções que habitavam os céus
Antes de se tornarem o saltério
Que o pastor de ovelhas Davi
Entoou por todos os dias
Dessa sua vida transformada em salmos.
Eu vejo as mesmas cores
Eu sinto o mesmo cheiro
Em algumas canções da alma
De nossa grande poetisa,
Cecília.

Welington

publicado por wellcorp às 15:46 | link do post
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
14
15
16
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
30
comentários recentes
Eu já disse que você é demais, mas, não custa nadi...
Você é um ser lindo!
tudo precisa de fundamento:oque significa raiz ori...
tudo precisa de fundamento:oque significa raiz ori...
You pretty much said what i could not effectively ...
You pretty much said what i could not effectively ...
Maneiro!
Maneiro!
tags

todas as tags

Posts mais comentados
29 comentários
29 comentários
6 comentários
6 comentários
5 comentários
5 comentários
3 comentários
3 comentários
subscrever feeds
SAPO Blogs